Eugenópolis: lavrador assassina esposa, enteada e depois se mata

Eugenópolis: lavrador assassina esposa, enteada e depois se mata

0 561

Aos poucos, detalhes começam a ser revelados e podem ajudar a polícia a esclarecer o crime bárbaro ocorrido na tarde da última quinta-feira (28) na zona rural de Queirozes, distrito de Eugenópolis (MG).

As primeiras informações colhidas pela Polícia Militar (PM) junto a familiares das vítimas ainda na cena do crime, o autor estaria molestando a enteada de apenas 16 anos.

O homem identificado pelas iniciais J. M., de 50 anos, a mulher C. R., 33 anos, e uma adolescente de 16 anos foram encontrados mortos dentro de casa.

Conforme registrado no Boletim de Ocorrência (BO) da PM, um cunhado do homem descreveu o autor com boa índole e “não tinha inimizade com ninguém”, porém a testemunha relata que há cerca de 2 meses tomou conhecimento através de terceiros que o autor estava molestando a enteada de 16 anos e “quando saíam de motocicleta ele parava no meio do caminho e além de passar-lhe as mãos mostrava para ela os órgãos genitais”.

Ainda de acordo com o registro policial, um primo do homem declarou que há algum tempo deu carona para as três vítimas e depois da viagem a adolescente comentou com sua mãe que seu padrasto a convidou para morarem juntos e, recentemente, o mesmo presenteou a enteada com um aparelho celular.

Cena do crime

De acordo com a Polícia Militar, o corpo do homem foi encontrado caído de barriga para baixo no chão da cozinha e do seu lado esquerdo havia uma faca tipo peixeira com aproximadamente 20 centímetros de lâmina e um celular quebrado. O corpo da adolescente também estava próximo do padrasto.

Na antessala, os policiais encontraram um machado com cabo medindo entre 90 cm e 1 metro. Já o corpo da mulher estava no quarto do casal, parcialmente em cima da cama.

Mãe e filha apresentavam ferimentos graves na cabeça, já o suposto autor apresentava uma perfuração no lado esquerdo do peito. A perícia da Polícia Civil de Muriaé esteve no local e colheu detalhes da cena do crime para apurar a dinâmica do ocorrido.

Rádio Natividade com informações da Rádio Muriaé

Foto: Silvan Alves

SEM COMENTÁRIOS

Deixe um Comentário