Dia do Sexo: dicas para melhorar a sua vida sexual

Dia do Sexo: dicas para melhorar a sua vida sexual

Pressão no trabalho, contas para pagar, baixa autoestima, preocupação com os filhos. O estresse do dia a dia faz a sua parte para derrubar a qualidade da nossa vida sexual e jogar para mais longe o caminho de homens e mulheres até o orgasmo. No Dia do Sexo, estrategicamente comemorado nesta quinta (6/9), em homenagem a uma das posições sexuais mais famosas, consultamos especialistas para dizer o que podemos fazer para melhorar a qualidade de nossas vidas sexuais.

— É difícil manter-se tranquilo com as pressões do dia a dia. As exigências profissionais, familiares e sociais podem nos deixar estressados, ansiosos, angustiados. E as frustrações também batem à porta quando não conseguimos dar conta de tudo. Tudo isso pode multiplicar os fatores que prejudicam a vida sexual saudável, como impaciência ou falta de comunicação — explica o psicanalista e sexólogo Marcelo Bernstein.

Com a ajuda dele e da sexóloga Carla Cecarello, selecionamos dez dicas para facilitar o alcance da meta mais essencial da humanidade — que é, de acordo com o sucesso de Rita Lee, gozar no final. Confira:

1) Explore seu corpo e a sua imaginação

Conhecer a si mesmo é o ponto de partida para a realização sexual plena. Então, mergulhe nas fantasias e estimule os seus pensamentos eróticos. Se preciso, recorra a um gatilho: assista a um vídeo, veja uma foto. A masturbação pode ser um poderoso aliado nesse processo — sobretudo para as mulheres. De acordo com dados do Projeto de Sexualidade da Universidade de São Paulo (Prosex), na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), mais da metade delas (55,6%) tem dificuldade para atingir o orgasmo. E um dos principais motivos, de acordo com a sexóloga Carla Cecarello, é a falta de conhecimento do próprio corpo.

— Ao se conhecer, a mulher vai descobrir onde e de que jeito ela gosta de ser tocada ou acariciada. É uma maneira de se valorizar na relação — defende Carla.

2) Busque relações com quem você admira

É muito gratificante quando conseguimos reconhecer no(a) parceiro(a) alguém que de fato pode estar do nosso lado. Ficar com alguém em que se pode confiar, que eleva a sua autoestima, estimula muito a relação — não importa se ela é hétero ou homossexual.

3) Viva bons momentos a dois

Sabemos que a vida está corrida e que vivemos muitas vezes à beira de um ataque de nervos, tamanha é a carga de estresse das demandas do dia a dia. Até por causa disso, é preciso procurar brechas para manter momentos a dois prazerosos — mesmo se você já tiver filhos. Namore, planeje viagens, converse, passeie de mãos dadas no parque, tome um sorvete… Tudo isso servirá como um bom estimulante na manutenção da relação.

4) Deixe o medo de lado

Cuidado com a ansiedade e com a neura de ser o(a) “melhor”. Esse tipo de cobrança só vai atrapalhar. A necessidade da autoafirmação não pode ser maior do que a importância de estar com o outro. Concentrar-se em agradar é importante, mas a questão fica problemática quando existe o medo de ser julgado(a). Deixe-se levar pelo momento e não se preocupe em “acertar”.

5) Não abra mão da conversa

Às vezes, o tempo passa, a relação fica morna e cai na rotina. Mas as situações ruins que aparecem no decorrer dos anos também podem resultar em conflitos, que podem abalar o desejo. Nessas horas lembre-se de que não adianta fingir que os problemas não existem. Afinal, eles não vão se resolver sozinhos. Seja franco com o parceiro, porque a honestidade é fundamental para um relacionamento saudável, e isso certamente vai se refletir nos momentos de intimidade.

6) Durma bem

Distúrbios de sono geralmente são uma verdadeira dor de cabeça. Insônia e problemas de respiração podem resultar na redução de desejo sexual. Além disso, uma noite bem dormida recarrega as baterias e, consequentemente, deixa qualquer um mais disposto.

7) Seja criativo(a)

Exercitar a capacidade de surpreender o parceiro é sempre recomendável para evitar que a relação caia na mesmice ou em repetições de um padrão. A rotina pode provocar desânimo e desinteresse. É importante saber o que agrada o parceiro, mas usar o mesmo repertório o tempo todo pode não ser saudável. Acessórios e cosméticos, por exemplo, podem apimentar a cama.

8) O que é combinado é sempre melhor

Como em qualquer relação, as fantasias podem exercer um papel muito importante como forma de deixar a vida sexual mais lúdica e divertida. Mas, para que isso funcione, é fundamental que haja um entendimento claro do que ambos gostam e estão dispostos a experimentar. Também é importante falar quais são os limites.

9) Sexo costuma ser melhor com afeto

Apesar de sexo casual ser ótimo e ter efeitos terapêuticos positivos, a conexão afetiva entre os parceiros amplia esse benefício de forma exponencial. Ou seja, quanto existe algo além da atração física, o prazer pode ser mais intenso e se tornar uma experiência mais significativa e marcante.

10) Não seja chato (a)

Não existe nada mais brochante do que a chatice. Há coisas que podemos evitar de fazer para sermos mais agradáveis com o(a) parceiro(a): evite, por exemplo, ficar falando do(a) ex o tempo todo. Procure deixar as neuras fora da cama também. Mantenha o bom humor, sempre que possível. E, principalmente, respeite os limites do outro.

O Globo (GUSTAVO AUTRAN E ANA BEATRIZ ROHEN*)

* Estagiária sob supervisão de Letícia Sorg

 

SEM COMENTÁRIOS

Deixe um Comentário