Consórcio de imóveis cresce e se consolida para conquistar a casa própria

Consórcio de imóveis cresce e se consolida para conquistar a casa própria

O sonho de conquistar a casa própria continua movendo milhões de brasileiros, que trabalham incansavelmente buscando transformar esse desejo, em realidade. E, o consórcio, que vem crescendo como forma viável na conquista de imóveis, atrai cada vez mais pessoas.

O jornal Folha de São Paulo apresentou recente matéria, revelando que o mercado de consórcios imobiliários cresceu 6,6% em 2018, representando 30,2% dos imóveis negociados no País no primeiro semestre. Segundo o jornal, os dados são da Abac (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios).

Uma das vantagens oferecidas pelo sistema de consórcio se refere ao custo, inferior ao financiamento tradicional, afinal, não há empréstimo bancário com suas altas taxas de juros. Mais informações sobre consórcios podem ser obtidas através do site e das redes sociais da empresa Valor Consórcios, ou pelos seguintes contatos: (22) 3811-0600 / 3824-6060 / 99794-0847 WhatsApp.

O gerente administrativo do Valor Consórcios, Vinícius Basile, alerta aos futuros consorciados que verifiquem se a administradora está em conformidade com as normas do Banco Central. “Antes de adquirir um consórcio de imóveis, ou qualquer outro tipo de consórcio, é de suma importância verificar se a administradora é autorizada pelo Banco Central. O consumidor precisa ter esse cuidado na hora de adquirir uma cota de consórcio”, orienta.

No sistema de consórcios não há juros e sim taxas previamente estabelecidas em contrato, ou seja, o consorciado sabe exatamente quanto vai pagar.

As mensalidades são depositadas e direcionadas ao fundo comum do grupo, e conforme acontecem os sorteios (mensalmente), as cartas de crédito são liberadas aos participantes. O participante também pode ofertar um lance, ou seja, oferecer um pagamento maior de parcelas, como se fosse um leilão, onde o vencedor é aquele que oferta o lance maior.

Segundo a administradora de empresas Lígia Santos, 24 anos, conforme revela a matéria da Folha, a jovem encara o consórcio imobiliário como “uma forma de poupança”. Enquanto sua contemplação não acontece, ela divide o apartamento com duas amigas. Lígia é adepta ao sistema de consórcios devido às prestações que cabem no bolso. “Como a prestação é baixa, eu consigo pagar o aluguel. Isso não seria possível se eu estivesse financiando com juros”, afirma.

Para o gerente administrativo do Valor Consórcios, outro atrativo do sistema de consórcios é a possibilidade de o consorciado utilizar o FGTS como parte do lance. “O consorciado precisa apresentar o extrato do FGTS à empresa administradora. Vale lembrar que o fundo, também pode ser utilizado a fim de quitar parcelas depois do sorteio, ou ainda, com o intuito de completar o valor do imóvel que será adquirido através da carta de crédito”, finaliza Vinícius.

Informação: Agência Comuniqque

Imagem: reprodução da Internet | Freepik

SEM COMENTÁRIOS

Deixe um Comentário