Americano: pai e filho se tornam campeões e escrevem seus nomes na...

Americano: pai e filho se tornam campeões e escrevem seus nomes na história do clube

Pai e filho campeões juntos, como jogadores titulares. História que poucas vezes se viu e será vista na história do futebol mundial, mas que aconteceu no Americano, campeão da Copa Rio no último final de semana. O volante Matheus Gama, de 19 anos, esteve atuando ao lado do pai, o veterano Luis Henrique, que está prestes a completar 39.

O que parecia algo improvável de ser realizado foi ganhando forma durante 2018, quando Matheus passou a ganhar espaço no elenco profissional do Americano, que possui como um dos seus principais líderes justamente Luis Henrique, goleiro e pai do volante.

– Realmente é histórico. Momento único na minha vida e da minha família. Eu projetava sim. Eu vinha conseguindo uns anos a mais e percebi que ele estava chegando e tinha condições. Mas não esperava de ser assim. Esperava um joguinho, dois… Confesso que é uma emoção ímpar ser campeão ao lado do filho. Vai ficar marcado na história da minha família, na do Americano e na história do futebol do Rio de Janeiro – disse Luis, que aproveita o entrosamento sanguíneo dentro das quatro linhas:

– Com certeza, tem a bronca de pai também. Às vezes, dentro de campo, na final mesmo, dei duas olhadas para ele que eu nem precisei falar nada. A gente gasta pouco a voz. Dou só uma olhada e fica mais fácil.

Matheus, assim como o pai, ressaltou o peso histórico de ter levantado uma taça em família. Se conquistar um troféu já seria marcante em qualquer circunstância, fazer isso ao lado do pai e ídolo se transformou em algo ainda maior.

– Deus deu essa oportunidade para a gente. Se for olhar, na História, pai e filho nunca foram campeões juntos. Só tenho agradacer a Deus, ao meu pai, que está em todos os momentos do meu lado. Não poderia ser melhor meu primeiro título ao lado dele. Agradeço a ele, minha família e todo mundo que apoiou – festejou o jovem atleta, que substituiu o experiente Abuda na final:

– Procurei não olhar para isso. Tentei fazer o máximo ao substituir o Abuda, que é um ótimo jogador. Graças a Deus, pude estar ali e dar conta do recado.

Renovação em dupla?

Com o acesso à Segundona conquistado e o título da Copa Rio em mãos, o Americano trabalha agora para manter as principais peças do elenco e reforçar o grupo com novas opções. No que depender de Luis Henrique, o novo vínculo, tanto dele quanto do filho, será assinado conjuntamente.

– Vou esperar o pacote (risos), já que é pai e filho. Mas, brincadeiras à parte, estou muito feliz no Americano e com os objetivos conquistados. Confesso que as conversas já aconteceram, tem o desejo do Americano, mas vamos sentar e conversar para resolver as questões salariais, tempo de contrato, essas coisas… O desejo meu e do presidente do clube é que a gente permaneça. (Para sair) acho que só uma proposta muito boa para mim, para o Matheus… Mas acho que vamos dar continuidade no Americano.

Prestes a completar 39 anos, Luis Henrique confirma que não cogita aposentadoria no próximo ano. Somente ao final da próxima temporada é que a situação será revista.

– Minha vontade é jogar mais um ano, com certeza. Aí, vamos ver: se no final do próximo ano eu ainda tiver mais uma lenha para jogar, vamos seguir e ver no que dá.

O Americano volta a campo a partir de 22 de dezembro, quando começa a Seletiva da Série A. O primeiro desafio será contra o America.

FutRio (Gabriel Farias)

Foto: divulgação

SEM COMENTÁRIOS

Deixe um Comentário