Região

Inicialmente prevista para esta quarta-feira (10), a apresentação da nova comissão técnica do Goytacaz para 2019 ficou para o próximo dia 18 deste mês. Lideradas pelo técnico Athirson, as caras novas no Alvianil da Rua do Gás terão mais uma semana para alinhavar os últimos detalhes antes do começo definitivo dos trabalhos, que será seguido pela apresentação dos atletas. A semana a mais, ganha pelos profissionais, poderá servir para adiantar algumas negociações já iniciadas com jogadores e que estão sendo capitaneadas por Flávio Lopes, novo gerente de futebol.

Paulo Henrique, que vinha como técnico até este ano, agora será supervisor e comandará as ações dentro do futebol alvianil. Ele revelou o adiamento em relação ao planejamento inicial e se disse bastante otimista com as primeiras reuniões que já teve com o grupo com o qual trabalhará neste ano.

– Já tivemos uma boa reunião aqui no Rio de Janeiro. Eu, o Athirson, o Fernando Vanucci, que foi auxiliar no Zico no Japão e na China, junto com o Flávio (Lopes) e o nosso investidor. Foi uma reunião excelente, buscando algumas coisas que o Goytacaz precisa. E nos encontraremos de novo no dia 18 para fazer uma coletiva e apresentar todo o grupo, a comissão técnica inteira – disse Paulo Henrique, à Rádio Absoluta.

Depois de tantos anos como treinador, Paulo se vê em uma nova função e faz questão de se autodenominar o “manager” do Goytacaz. Segundo ele, o desejo de colocar o Goyta entre os maiores clubes do Rio de Janeiro, ao passar pela Seletiva, é maior do que nunca:

– Agora, eu estou largando a carreira de treinador e seguindo uma nova. Tentarei ajudar o Goytacaz cada vez mais nessa posição de “manager”. Não sou coordenador, nem diretor técnico, sou “manager” agora. Pretendo fazer um bom trabalho com toda a equipe e a diretoria, é uma nova etapa na minha vida. Estamos em busca desse sonho de ter o Goytacaz na primeira divisão. Um pedaço do sonho eu já consegui, mas encontramos no meio do caminho essa Seletiva, que não estava nos nossos planos.

FutRio

Foto: Gabriel Andrezo (FutRio)

Lucas Paquetá realiza exames médicos na manhã desta quarta-feira para assinar com o Milan, seu futuro clube. O meia de 21 anos chegou cedo a uma clínica na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, acompanhado de dois médicos do clube italiano para passar pelo procedimento padrão antes que sua venda seja oficializada. Ele joga até dezembro pelo Fla e se apresentará a seu novo clube em janeiro de 2019.

Recentemente, Paquetá passou com sucesso por uma bateria de exames feitos pelo Flamengo. O Milan tem essa informação, mas optou por ele próprio fazer uma nova série com seus médicos para cumprir o protocolo.

O Flamengo monitora os procedimentos. O clube, por sua vez, segue sem se manifestar oficialmente sobre a negociação. Desde a noite de terça-feira, o GloboEsporte.com tem tentado, sem sucesso, contato com a diretoria.

A operação foi concluída na casa dos 35 milhões de euros (sem contar o bônus por desempenho de Paquetá). O Flamengo receberá 70% deste valor, montante que detém dos direitos econômicos do camisa 11- ou seja, cerca de 25 milhões de euros. Os outros 30% são divididos entre o jogador e a Brazil Soccer, empresa que faz a gestão de carreira. Serão cinco anos de contrato com o Milan.

Milan mais incisivo que PSG

Firme na decisão de contratar Paquetá, o Milan atravessou as conversas bem adiantadas com o Paris Saint-Germain e venceu a disputa. A proposta de ambos é similar: cerca de 35 milhões de euros mais bônus por desempenho. Pesou a favor dos italianos a forma incisiva de condução das conversas e uma possibilidade maior de aproveitamento de Paquetá.

A transação foi conduzida pelo brasileiro Leonardo, apresentado em julho pelo fundo americano Elliot, que conduz o clube, como diretor esportivo. Desde o primeiro momento, o ex-lateral-esquerdo, revelado pelo próprio Flamengo, colocou Lucas Paquetá como alvo com a aprovação do treinador Gattuso.

Com o encaminhamento do acerto com o PSG, inclusive com o lobby de Neymar junto ao jogador, o Milan oficializou a proposta e seduziu os rubro-negros. Fontes ligadas a alta cúpula do Flamengo revelam que o CEO Bruno Spindel foi responsável por definir os detalhes finais da transação, pessoalmente em Milão.

GloboEsporte (Cahê Mota e Raphael Zarko)

Foto: reprodução da Internet | Site Flamengo

Os filhos de servidores da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) podem ter direito a uma reserva de 25% do total de vagas oferecidas no ensino fundamental da rede. É o que determina o projeto de lei 50/15, que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) vota nesta quarta-feira (10), em segunda discussão.

Além do ensino fundamental, a proposta também estabelece uma reserva de 25% das vagas, aos filhos dos servidores da Faetec, no Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro (Iserj), localizado no bairro da Tijuca, na capital, e no Instituto Superior de Educação Professor Aldo Muylaert (Isepam), localizado em Campos dos Goytacazes.

Pela proposta, metade destas vagas, o equivalente da 12,5% do total, seria destinada aos filhos de professores, e a outra metade aos filhos dos demais servidores da Faetec. Uma regra similar já existe para o ingresso de filhos de funcionários da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) no colégio de aplicação da instituição.

EBC

Pai e filho campeões juntos, como jogadores titulares. História que poucas vezes se viu e será vista na história do futebol mundial, mas que aconteceu no Americano, campeão da Copa Rio no último final de semana. O volante Matheus Gama, de 19 anos, esteve atuando ao lado do pai, o veterano Luis Henrique, que está prestes a completar 39.

O que parecia algo improvável de ser realizado foi ganhando forma durante 2018, quando Matheus passou a ganhar espaço no elenco profissional do Americano, que possui como um dos seus principais líderes justamente Luis Henrique, goleiro e pai do volante.

– Realmente é histórico. Momento único na minha vida e da minha família. Eu projetava sim. Eu vinha conseguindo uns anos a mais e percebi que ele estava chegando e tinha condições. Mas não esperava de ser assim. Esperava um joguinho, dois… Confesso que é uma emoção ímpar ser campeão ao lado do filho. Vai ficar marcado na história da minha família, na do Americano e na história do futebol do Rio de Janeiro – disse Luis, que aproveita o entrosamento sanguíneo dentro das quatro linhas:

– Com certeza, tem a bronca de pai também. Às vezes, dentro de campo, na final mesmo, dei duas olhadas para ele que eu nem precisei falar nada. A gente gasta pouco a voz. Dou só uma olhada e fica mais fácil.

Matheus, assim como o pai, ressaltou o peso histórico de ter levantado uma taça em família. Se conquistar um troféu já seria marcante em qualquer circunstância, fazer isso ao lado do pai e ídolo se transformou em algo ainda maior.

– Deus deu essa oportunidade para a gente. Se for olhar, na História, pai e filho nunca foram campeões juntos. Só tenho agradacer a Deus, ao meu pai, que está em todos os momentos do meu lado. Não poderia ser melhor meu primeiro título ao lado dele. Agradeço a ele, minha família e todo mundo que apoiou – festejou o jovem atleta, que substituiu o experiente Abuda na final:

– Procurei não olhar para isso. Tentei fazer o máximo ao substituir o Abuda, que é um ótimo jogador. Graças a Deus, pude estar ali e dar conta do recado.

Renovação em dupla?

Com o acesso à Segundona conquistado e o título da Copa Rio em mãos, o Americano trabalha agora para manter as principais peças do elenco e reforçar o grupo com novas opções. No que depender de Luis Henrique, o novo vínculo, tanto dele quanto do filho, será assinado conjuntamente.

– Vou esperar o pacote (risos), já que é pai e filho. Mas, brincadeiras à parte, estou muito feliz no Americano e com os objetivos conquistados. Confesso que as conversas já aconteceram, tem o desejo do Americano, mas vamos sentar e conversar para resolver as questões salariais, tempo de contrato, essas coisas… O desejo meu e do presidente do clube é que a gente permaneça. (Para sair) acho que só uma proposta muito boa para mim, para o Matheus… Mas acho que vamos dar continuidade no Americano.

Prestes a completar 39 anos, Luis Henrique confirma que não cogita aposentadoria no próximo ano. Somente ao final da próxima temporada é que a situação será revista.

– Minha vontade é jogar mais um ano, com certeza. Aí, vamos ver: se no final do próximo ano eu ainda tiver mais uma lenha para jogar, vamos seguir e ver no que dá.

O Americano volta a campo a partir de 22 de dezembro, quando começa a Seletiva da Série A. O primeiro desafio será contra o America.

FutRio (Gabriel Farias)

Foto: divulgação

Criar os filhos sem contato com a tecnologia é uma missão praticamente impossível. A introdução dos pequenos ao mundo virtual acontece cada vez mais cedo por meio não apenas da televisão, mas também do computador, do tablet e, principalmente, do celular. Uma pesquisa divulgada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil em novembro de 2017 revelou que 91% dos 22 milhões de brasileirinhos com acesso à internet navegam pelo celular. O número assusta quando comparado com o índice de 2012:  21%.

— Não adianta proibir — admite Maria Mihich, da Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro. — Hoje em dia, as crianças perguntam ao Google, não aos pais. Por isso, é preciso acompanhar e, principalmente, entender de onde vem a curiosidade dos filhos pelos conteúdos que eles acessam na internet.

A psicanlista, especialista em crianças e adolescentes, afirma que muitos pais com uma rotina atribulada recorram ao Youtube para distrair os filhos. Quem nunca colocou um vídeo da “Galinha Pintadinha” no Youtube para distrair as crianças por alguns minutos? Na plataforma, o canal da personagem infantil tem mais de 30 vídeos com mais de 100 milhões de visualizações — um recorde antes detido pela cantora Rihanna. É neste momento, porém, que eles ficam expostos ao perigo de consumir conteúdos impróprios por meio da busca por palavras-chave e da reprodução automática. Há sempre a possibilidade de haver um vídeo adulto relacionado a um tema infantil.

São os casos, por exemplo, das paródias que muitas vezes utilizam elementos do universo infantil. Uma dica simples para os pais evitarem esse contato precoce é montar uma playlist particular e desabilitar a ferramenta de reprodução instantânea. Também são de grande ajuda os aplicativos próprios, como o Youtube Kids. Nele é possível, além de filtrar o que será assistido, controlar o tempo de acesso. Sobre isso, a especialista atenta:

— O ideal é não passar de uma hora por dia por questões fisiológicas. A exposição contínua à luz desses aparelhos pode causar distúrbios do sono e ainda problemas de visão.

Embora não seja assim na prática, a idade recomendada para que as crianças comecem a manipular tablets ou celulares é após a alfabetização. Em qualquer idade, a surpervisão dos pais deve se manter firme para evitar a apresentação de temas muitos densos aos pequenos antes da hora. Este, inclusive, é o que Mihich encara como o principal problema do acesso liberado à internet nessa idade:

— Muitas vezes os pais não têm dimensão de como o excesso de informação da internet é prejudicial ao aparelho psíquico do filho. Às vezes, ele está na fase de aprendizado nível um e, através das redes, se depara com um assunto do nível cinco. Essa interferência não natural desencadeia uma confusão que pode causar desde um quadro de ansiedade muito forte e medo excessivo até uma regressão no desenvolvimento.

Freud explica que “a identificação é a mais remota expressão de um laço emocional com outra pessoa”. Portanto, é esperado que os pequenos se identifiquem com os pais. A partir do contato com o Youtube, isso pode se estender ao que eles veem na tela. Inconscientemente, as  crianças criam aí um laço de familiaridade.

A imitação natural dos pequenos é inclusive apontada como uma das causas do vício em redes sociais — que pode se estender até a adolescência e vida adulta.

— A tendência é que as crianças fiquem o dia inteiro na internet se os pais também ficam. O vício pode ser por imitação, ansiedade ou compulsão. Este último caso é mais comum com pré-adolescentes e adolescentes — esclarece Maria.

Por mais que pareça difícil chamar mais atenção que a animação colorida e preferida dos filhos, a profissional argumenta que nada é mais atrativo para eles do que a proposta de atenção exclusiva dos pais. Sair para passeios, é claro, exige uma energia extra e difícil de guardar hoje em dia, porém o resultado sempre é positivo se a ideia é tirá-los da frente das telas:

— O maior desejo de uma criança é ser amada. Por isso, as atividades propostas têm que ter atenção dos pais. Mesmo que sejam rápidas como ler para os filhos antes de dormir. Mais tarde, esses pequenos gestos que parecem bobagem acabam fazendo toda a diferença na construção deles como indivíduos crescidos.

O Globo (Luana Santiago) | Estagiária, sob supervisão de Renata Izaal

Foto: Shutterstock/Stepan Popov

Depois de 26 anos presente em Macaé, a UFF terá sua própria sede no município. A aproximação da universidade com a prefeitura local, intensificada a partir do final de 2017, deu início ao processo de construção do bloco D da Cidade Universitária. De acordo com o vice-reitor, professor Antonio Claudio Nóbrega, que conduziu pessoalmente as negociações, o prédio destinado à instituição, tem previsão de conclusão para 2019 e constitui mais uma ação estruturante da UFF em Macaé. Já a nova Moradia Estudantil surgiu de mais uma ação articulada com a prefeitura da cidade e abrigará nos próximos dias novos alunos em suas instalações.

“Há cerca de dois anos iniciamos um trabalho de atualização do mapeamento da infraestrutura e planos das unidades que se localizam nos campi de expansão. Em Macaé, era imperativa a construção de uma sede própria da UFF há 25 anos. Enquanto elaborávamos um acordo junto ao município para a construção do prédio, em paralelo fomos suprindo a unidade que ainda funciona em um bloco emprestado pela prefeitura com sistema de internet wi-fi e aparelhos de ar condicionado. Dentre os muitos objetivos acadêmicos, construímos um espaço orçamentário para finalmente iniciar a residência jurídica na unidade que revitalizará o Centro de Assistência Jurídica (CAJ)”, explica Antonio Claudio.

Todos os quartos da nova moradia foram sorteados no final de setembro, data em que os futuros ocupantes também conheceram os aposentos. Eles já se mudam para o local nesta segunda-feira (8) adiantou o diretor do Instituto de Ciências da Sociedade de Macaé, professor Daniel Arruda Nascimento. Atualmente, a unidade macaense possui aproximadamente 1200 alunos matriculados em três cursos de graduação: Administração, Ciências Contábeis e Direito.

Além dos três cursos já oferecidos pela instituição na cidade, a expectativa é que outros sejam criados a partir da demanda local, da interação com cursos de outras universidades parceiras no município e sua adequação com o instituto.

“Estamos na expectativa da aprovação pelos órgãos de fomento de um Mestrado Profissional em Gestão Empresarial, já aprovado nas instâncias internas da UFF. Temos também outros projetos de pós-graduações e especializações em elaboração. A construção do bloco D é um antigo sonho da nossa comunidade acadêmica, sendo fundamental para o processo de expansão. Com a sua entrega, poderemos ainda ampliar o atendimento à população local pelo Núcleo de Apoio Fiscal e Contábil, recentemente inaugurado, e pelo CAJ”, destaca o diretor.

O Fluminense

Imagem: reprodução da Internet | site UFF

Os interessados em participar do XXVIII Concurso Nacional de Contos, que será realizado durante a 10ª Bienal do Livro de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, têm até quinta-feira (11) para se inscrever.

Além de autores campistas, podem se inscrever também escritores de outros estados. A inscrição é gratuita e pode ser feita de 9h às 16h no Teatro Trianon, na Rua Marechal Floriano, no Centro da Cidade.

Os interessados devem entregar três cópias do conto identificado com pseudônimo e ficha de inscrição em envelope A4 lacrado. O tema do conto é livre, mas deve seguir as características do gênero proposto pelo concurso: personagens, ficção, introdução, explicação e desfecho. Cada trabalho deve apresentar, no máximo, três páginas.

O resultado será divulgado no dia 23 de novembro durante a 10ª Bienal do Livro de Campos, que vai acontecer de 20 a 25 de novembro.

A comissão julgadora será formada por um mínimo de três jurados, todos profissionais ligados à Literatura, Teatro e Comunicação, escolhidos pela gerência do Departamento de Literatura da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL).

Criado em 1989, o Concurso de Contos é uma tradição campista, que homenageia o conterrâneo autor José Cândido de Carvalho e oportuniza a autores de todo o país a possibilidade de mostrarem suas narrativas. Os quatro melhores contos receberão premiações em dinheiro.

G1

Foto: divulgação/Prefeitura de Campos

O eleitor que não pôde votar no primeiro turno das eleições e não conseguiu justificar a ausência ainda pode preencher o formulário de justificativa eleitoral pela internet ou entregá-lo pessoalmente em qualquer cartório eleitoral.

Há também a possibilidade de enviar o formulário pelo correio para o juiz eleitoral da zona eleitoral. O prazo para justificar é de até 60 dias após cada turno da votação.

Além do formulário, o eleitor deve anexar documentos que comprovem o motivo que o impediu de comparecer no dia do pleito.

Pela internet, o eleitor pode justificar a ausência utilizando o “Sistema Justifica” nas páginas do TSE ou dos tribunais regionais. No formulário online, o eleitor deve informar seus dados pessoais, declarar o motivo da ausência e anexar comprovante do impedimento para votar.

O requerimento de justificativa gerará um código de protocolo que permite ao eleitor acompanhar o processo até a decisão do juiz eleitoral. A justificativa aceita será registrada no histórico do eleitor junto ao Cadastro Eleitoral.

Eleitores no exterior

No caso dos brasileiros que estavam no exterior no dia da votação, eles também deverão encaminhar o formulário de justificativa pós-eleição e a documentação comprobatória até 60 dias após o turno ou em 30 dias contados a partir da data de retorno ao Brasil.

Se estiver inscrito em zona eleitoral do exterior, o eleitor deverá encaminhar o requerimento diretamente ao juiz competente ou ainda entregar nas missões diplomáticas e repartições consulares localizadas no país ou enviar pelo sistema justifica.

Consequências

O Tribunal Superior Eleitoral explica que a não regularização da situação com a Justiça Eleitoral pode resultar em sanções, como impedimento para obter passaporte ou carteira de identidade para receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público.

A não justificativa também pode impedir que o eleitor participe de concorrência ou administrativa da União, dos estados, Distrito Federal e municípios, além de ficar impedido de se inscrever em concurso público ou tomar posse em cargo e função pública.

Fonte: EBC

Cabral, Picciani, Cunha. Três dos sobrenomes mais influentes da política fluminense nas últimas décadas voltaram às urnas no último domingo (8), desta vez representados por seus filhos. Sem sucesso. Marco Antônio Cabral, filho de Sérgio Cabral; Leonardo Picciani, filho de Jorge Picciani; e Danielle Cunha, filha de Eduardo Cunha, não se elegeram para o Congresso.

Eles eram candidatos a deputado federal, mas nem mesmo o repasse milionário do MDB, partido de todos os três, foi suficiente para impulsionar as candidaturas. Enquanto Leonardo e Marco Antônio receberam R$ 1,5 milhão da sigla, Danielle recebeu R$ 2 milhões.

O MDB elegeu três deputados federais, sendo o de pior desempenho com 54, 5 mil votos. Quem chegou mais perto deste patamar, dentre os três candidatos ao espólio de seus pais, foi Leonardo Picciani com longínquos 38 mil votos. Marco Antônio teve 19,6 mil e Danielle, 13 mil.

Antipetismo e esporte como campanha

Danielle escorou seu discurso no antipetismo. Tentou barrar a candidatura da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) ao Senado, mas o TRE-MG negou. Seu pai foi o responsável por aceitar o pedido de abertura do impeachment contra Dilma, anos antes.

Já na campanha, ela ainda gravou vídeo a favor da candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) à presidência. “Bolsonaro representa quem não quer a Dilma e não quer o PT no poder”, disse ela na ocasião, sem êxito.

Leonardo, ex-ministro do Esporte na gestão de Michel Temer (MDB), e Marco Antônio, ex-secretário de Esporte na gestão de Luiz Fernando Pezão (MDB), insistiram nos seus feitos na área para tentar arrebanhar votos.

Marco Antônio ainda contou, na campanha, com as presenças do lutador Rodrigo Nogueira, o Minotauro, do presidente da Liga Brasileira de MMA, Wallid Ismai; e do apresentador Edilson Silva. Todos gravaram vídeos fartamente exibidos em redes sociais.

Em setembro, o filho de Sérgio Cabral divulgou uma carta do pai. Nela, o ex-governador do Rio assumia os erros, mas dizia lutar para não ser punido pelo que não fez e saía em defesa do filho.

“Você não merece pagar pelos meus erros. Você fez um lindo mandato e merece a reeleição. Quem errou fui eu. E a população do Rio sabe disso”.

G1 (Gabriel Barreira)

Foto: reprodução/GloboNews

A semana começa com 118 vagas de emprego na Central do Trabalhador de Macaé, no Interior do Rio. A relação foi divulgada pela Prefeitura nesta segunda-feira (8).

Entre as oportunidades, há vagas para técnico de fibra óptica, costureira, ajudante de marceneiro, corretor de imóveis, cozinheira e operador de caixa. Todas as vagas disponíveis podem ser conferidas no site da Prefeitura.

Para concorrer, não é necessário fazer agendamento. O atendimento é gratuito e os interessados podem ir direto à Central, na Rodovia Amaral Peixoto, s/nº, em frente ao Estádio Cláudio Moacyr, na Barra, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Para a emissão de carteira de identidade e de trabalho é necessário fazer o agendamento pelo 0800021-1138. Em seguida, o candidato deve comparecer à central.

Em caso de dúvida, o interessado pode ligar para a Central do Trabalhador pelo telefone (22) 2763-6344.

G1

O Americano venceu o Itaboraí por 1 a 0 na tarde deste sábado, em Cardoso Moreira, e conquistou o título da Copa Rio. Com gol de Cláudio Maradona, o Alvinegro de Campos fez o “dever de casa” e vai poder escolher entre uma vaga na Copa do Brasil ou na Série D do Brasileiro. O ADI ficará com a outra vaga.

Após garantir o acesso para a Seletiva do Carioca do ano que vem e ficar com o título da Copa Rio, o Americano passa a voltar as atenções para o estadual. A equipe terá que entrar em campo já em dezembro em busca do sonho de disputar a fase principal do Carioca. O Itaboraí, por outro lado, só volta aos gramados no ano que vem.

GloboEsporte

Foto: Agência FFERJ

No próximo domingo, o eleitor terá que teclar seis sequências numéricas na urna eletrônica e confirmar cada um deles, o que pode tornar a votação muito demorada. Para facilitar e reduzir o tempo na cabine, é permitido levar anotações dos números de cada um dos seus candidatos. Por causa disso, o DIA preparou uma ‘cola’ para você recortar (na página 10), preencher e levar na hora de votar. É só deixar tudo pronto e também não esquecer de levar o documento oficial com foto e dentro do prazo de validade.

O que não posso fazer durante as eleições?

É proibida a aglomeração de pessoas e veículos com material de propaganda, uso de alto-falantes, realização de comícios, carreatas, transporte de eleitores, boca de urna ou propagandas com panfletos e cartazes. Quem for flagrado cometendo essas infrações pode ser punido com seis meses a um ano de detenção, ou com prestação de serviço  comunitários pelo mesmo período acrescido  de multa que varia entre  R$ 16.450 e R$49.350.

Que documentos preciso levar para a votação?

Um documento oficial com foto original e dentro da validade. Quem tiver o aplicativo e-Título e já tiver feito o cadastramento biométrico, não precisa levar outro  documento. Caso não apareça a foto no aplicativo,  é necessário o documento de identificação.

Estarei viajando. Como justifico meu voto?

É preciso ir a qualquer local de votação portando título ou número da inscrição estadual e documento com foto e na validade. Até 60 dias após as eleições, é possível justificar pelos sites do TRE-RJ e do TSE ou em cartórios eleitorais.

Quem tem preferência para votar?

Maiores de 60 anos, grávidas, lactantes, pessoas com criança de colo ou mobilidade reduzida, candidatos, pessoas a serviço da Justiça Eleitoral e policiais militares em serviço. Pessoas com mais de 80 anos têm preferência maior.

A biometria é obrigatória?

No Estado do Rio, sete cidades têm a obrigação de usar a biometria durante essas eleições: Búzios, Niterói, Rio das Ostras, São João da Barra, Queimados, Trajano de Moraes e São Sebastião do Alto.

Posso votar de outra cidade?

Apenas eleitores que tenham requerido previamente a habilitação especial para votar fora de seus municípios poderão usufruir desse benefício. Aqueles que se encontram fora do estado votarão apenas para o cargo de presidente.

O que acontece se eu não justificar a ausência na votação?

O eleitor terá que se regularizar em qualquer cartório eleitoral e estará sujeito à multa de R$ 3,51 por turno. Após três ausências consecutivas não justificadas, o título é cancelado.

Qual a ordem de votação na urna eletrônica?

A ordem de votação será a seguinte: deputado federal, deputado estadual, dois senadores, governador e por fim presidente da República. A ordem de escolha dos senadores não faz diferença na contagem de votos.

Posso entrar com meu celular na cabine de votação?

Não. Máquinas fotográficas, filmadoras ou qualquer equipamento que coloque sob suspeita o sigilo do voto também estão proibidos. Estes dispositivos  devem ser entregues ao mesário  antes da votação.

Posso votar sem título de eleitor?

Sim, apenas o documento de identificação com foto é obrigatório. Caso tenha perdido o título, o eleitor pode consultar sua seção no  site do TRE-RJ ou no aplicativo e-Título.

Que tipo de manifestação política é permitida no dia da votação?

Só são permitidas manifestações individuais e silenciosas através de adesivos, bandeiras e broches.

Posso usar qualquer roupa na hora de votar?

Pode. Mas mesmo não havendo restrições judiciais, o TRE-RJ recomenda que os eleitores tenham bom senso e evitem o uso de trajes  de banho durante o momento de votação.

Segurança reforçada nas 106 zonas eleitorais

O Rio de Janeiro será o estado que terá maior reforço na segurança no domingo das eleições. No território fluminense, 106 zonas eleitorais vão contar com o apoio de tropas das forças federais, segundo último balanço do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), divulgado nesta quarta-feira.

Ao todo, os agentes atuarão em 11 estados. Depois do Rio, o Pará contará com reforço em 46 zonas eleitorais, e Piauí, com 43. Os ministros do TSE já haviam aprovado o apoio para localidades de outros oito estados: Amazonas, Acre, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte e Tocantins. Entre as localidades estão aldeias indígenas, distritos, comunidades ribeirinhas.

A atuação das forças federais nas eleições está prevista no Código Eleitoral e tem como objetivo garantir a normalidade do pleito, o livre exercício do voto e o bom andamento dos resultados. Depois de aprovados pelo TSE, os pedidos são encaminhados ao Ministério da Defesa.

O Dia

O esporte da Globo está vivendo momentos de ansiedade. Roberto Marinho Neto, o herdeiro do império que realmente está sendo preparado para ocupar o posto principal das organizações Globo, mandou fazer um grande corte nos salários milionários pagos, em especial, aos narradores.

Galvão Bueno ainda tem mais um ano de contrato, que deve ser estendido, mas com um corte considerável. Os quase R$ 1,2 milhão mensais devem baixar para algo em torno de R$ 500 mil a R$ 600 mil. Esse martelo não está batido ainda.

Cleber Machado, que ganhava quase R$ 500 mil, está renovando por menos da metade e ficará na faixa salarial de outros nomes da casa como Luiz Roberto, que recebe mensalmente pouco mais de R$ 200 mil.

Procurada, a TV Globo se limitou a dizer: “não comentamos negociações internas”.

O Dia

As contas do setor público consolidado, que englobam o governo, os estados, municípios e as empresas estatais, deixarão de registrar déficits primários (despesas maiores do que receitas, sem contar os juros da dívida pública) somente em 2023, segundo estimativa da Instituição Fiscal Independente.

A entidade, ligada ao Senado, divulgou o levantamento nesta quinta-feira (4), como parte de um estudo especial sobre a dívida brasileira.

Com isso, a previsão da IFI é que o próximo presidente da República, a ser eleito neste mês pela população brasileira, não deve conseguir reverter os rombos fiscais, que ocorrem desde 2014, durante todo o seu governo. O próximo mandato termina em 2022.

“Atualmente, nossas projeções para o resultado primário apontam para a reversão do déficit apenas em 2023”, informou o órgão.

Os rombos fiscais estão entre os desafios a serem enfrentados pelo próximo presidente da República. Para lidar com esse problema, o governo do presidente Temer propôs e aprovou no Congresso Nacional um teto de gastos públicos.

A regra prevê que os gastos da União (Executivo, Legislativo e Judiciário) só poderão aumentar conforme a inflação registrada em 12 meses até junho do ano anterior. A própria aplicação do teto de gastos, porém, também será um dos obstáculos na economia para o próximo governo.

Isso ocorre porque os gastos obrigatórios (com Previdência e pessoal, por exemplo) estão subindo acima da inflação e, com isso, sobra cada vez menos espaço para as despesas não obrigatórias.

Para contornar, o governo apostava na reforma da Previdência Social para diminuir a parcela de gastos obrigatórios, mas desistiu da proposta no começo deste ano diante das dificuldades em aprová-la no Congresso. O governo também baixou uma Medida Provisória que adia o reajuste dos servidores que estava programado para o ano que vem.

Com o teto de gastos, a última previsão do governo é de que as despesas não obrigatórias devem ficar próximas de R$ 100 bilhões em 2019 – o menor orçamento de custeio e investimentos em 12 anos -, o que tende a restringir novas despesas.

Integrantes da equipe econômica já haviam admitido que, sem a reforma da Previdência, o teto de gastos fica incompatível com a administração orçamentária em 2020.

De acordo com análise da Instituição Fiscal Independente, o espaço para mudanças no gasto público sem reformas estruturais “é exíguo e está diminuindo”.

“O próprio exercício da margem fiscal apresentado pela IFI mostra que a tendência dessa parcela ‘livre’ dos gastos discricionários é diminuir rapidamente para que o teto de gastos possa ser cumprido. O problema é que há um nível mínimo de despesas para que a máquina pública possa funcionar, o que significa que reduzir o gasto aquém disso significaria incorrer em uma situação de paralisação das atividades do governo (o chamado “shutdown”)”, concluiu.

G1 (Alexandro Martello)

O presidente dos EUA, Donald Trump, gosta de repetir que todas as opções estão na mesa, ao ser indagado sobre uma possível intervenção militar na Venezuela para depor o presidente Nicolás Maduro. Trata-se de uma resposta vaga já aplicada a Irã, Coreia do Norte e Síria. Mas que, no caso do país andino, vem ecoando na ala mais radical do governo e do Partido Republicano.

Recentemente, o influente senador Marco Rubio, de origem cubana, defendeu abertamente o uso da força militar na Venezuela, alegando que o país é uma ameaça à segurança da região e dos EUA. Vazou também, pelo jornal “New York Times” a informação de que autoridades do governo Trump teriam mantido encontros com militares venezuelanos insurgentes dispostos a tramar um golpe.

Deixar a porta aberta a uma ação militar tem efeito de distração, numa bravata que favorece tanto Trump quanto Maduro — ambos com popularidade em baixa e mergulhados em escândalos e crises políticas domésticas. O americano alega que o regime seria facilmente derrubado se os militares assim o quisessem. O venezuelano responde que a reação de seu país a uma invasão dos EUA faria a Guerra do Vietnã parecer pequena.

Na prática, porém, uma intervenção seria contraproducente e catastrófica para os dois países, que só teriam a perder. Com seu passado de ingerências na América Latina, os EUA se embrenhariam numa nova ação certamente sem o apoio de seus vizinhos de continente.

E a Venezuela, que já encontra na rota do colapso econômico e de um regime ditatorial, com nove entre 10 pessoas na linha da pobreza, assistiria à validação das teorias conspiratórias de Maduro, para quem o governo americano é o maior culpado pela tragédia do país.

Por enquanto, os EUA optam pelo cerco ao governo venezuelano com ferramentas políticas, traduzidas em novas sanções econômicas ao círculo de Maduro e em ajuda humanitária aos refugiados.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, discursa na 73ª Assembleia Geral da ONU, em Nova York, na quarta-feira (26) — Foto: Reuters/Eduardo Muñoz

Na semana passada, após Trump discursar na Assembleia Geral da ONU, o Departamento do Tesouro americano estendeu as sanções à primeira-dama, Cília Flores, à vice-presidente, Delcy Rodriguez, ao ministro da Defesa, Vladimir Padrino, e ao ministro das Comunicações, Jorge Rodriguez.

O presidente venezuelano, que estava decidido a não comparecer à ONU, mudou de ideia e desembarcou de surpresa em Nova York para denunciar Trump por ataques políticos e econômicos contra seu país. Por outro lado, governos de Argentina, Chile, Colômbia, Paraguai, Peru e Canadá intensificaram a pressão sobre o regime, pedindo ao Tribunal Penal Internacional que investigue a Venezuela por supostos crimes contra a Humanidade sob o comando de Maduro.

O histórico dos EUA na América Latina, envolvendo-se em invasões e orquestrando golpes para derrubar governos no século passado, é outro indicativo de que a cautela é imperativa quando o governo cogita optar por mais uma intervenção militar. Sobretudo na Venezuela, onde os EUA sequer têm um plano de transição que justifique pôr em risco vidas de americanos.

G1 (Sandra Cohen)

Imagem: ilustração | reprodução da Internet

Um casal foi flagrado fazendo sexo na arquibancada do Estádio Governador Magalhães Pinto, mais conhecido como Mineirão, na Região da Pampulha, em Belo Horizonte. Vídeos que circulam nas redes sociais foram feitos no último fim de semana, durante um festival de música eletrônica.

Em uma das gravações, um homem nu é filmado de costas acompanhado de uma pessoa que parece estar vestida. Nas imagens, os dois aparecem sozinhos na arquibancada superior do estádio. Os dois vídeos que circulam em redes sociais foram feitos por pessoas que estavam na parte inferior das arquibancadas.

O artigo 233 do Código Penal Brasileiro prevê uma pena de detenção de três meses a um ano, ou multa para o crime de ato obsceno, que é a prática de obscenidade em lugar público, ou aberto ou exposto ao público.

O Minas Arena, que administra o Mineirão, informou que a produtora responsável foi acionada e certamente serão tomadas as medidas.

Em nota, a assessoria de imprensa da OTM Produções, produtora responsável pelo evento Só Track Boa Festival, informou que referente ao vídeo que circula na web, se trata de um fato isolado.

Ainda segundo o comunicado, o casal que aparece no vídeo já foi identificado pela produção e suas informações estão sendo repassadas nesta terça-feira (2) para as autoridades competentes tomarem as providências cabíveis.

A produção esclareceu que não compactua com este tipo de atitude e garantiu, ainda, que não mediu esforços para proporcionar a segurança de todos frequentadores, tendo o evento ocorrido dentro da normalidade.

G1

Foto: reprodução/redes sociais

Mulheres com idade entre 40 e 70 anos precisam fazer mamografia

ITAPERUNA, RJ – A Secretaria Municipal de Saúde estará durante todo o mês de outubro, no Centro de Saúde DR. Raul Travassos e nas unidades de saúde dos bairros, realizando a marcação de Papanicolau (exame preventivo) e Mamografia.

É preciso alertar a população feminina sobre o quanto é importante a prevenção ao câncer de mama.

OUTUBRO ROSA – O MOVIMENTO DA PREVENÇÃO AO CÂNCER DE MAMAS NAS MULHERES

O mês de outubro é voltado à conscientização das mulheres, principalmente as mulheres acima de 40 anos, e as mulheres com histórico familiar de câncer de mamas nas descendências diretas (avó, mãe, tia, irmã…).

Procure uma UBS ou unidade ESF mais próxima de sua residência e converse com a enfermeira!

NICES –  NÚCLEO DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E EDUCAÇÃO PERMANENTE E CONTINUADA EM SAÚDE

PAISM – PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA INTEGRAL À SAÚDE DA MULHER

Os licenciamentos de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus novos no Brasil somaram 213,35 mil unidades em setembro, um aumento de 7,1% sobre o mesmo mês do ano passado, mas 14,2% abaixo do patamar apurado em agosto, de acordo com levantamento divulgado nesta terça-feira (2) pela associação de concessionárias, Fenabrave.

Com o movimento, as vendas de veículos novos de janeiro a setembro acumularam alta de cerca de 14% na comparação anual, para 1,846 milhão de veículos, segundo os dados da entidade.

Nova previsão

A Fenabrave revisou para cima a previsão de vendas de automóveis e comerciais leves para o ano. A associação estima que o crescimento deve ser de 11,9% ante 2017, somando cerca de 2,431 milhões de unidades. Em julho, a expectativa era de alta de 9,7%.

Considerando também as demais categorias de veículos, a Fenabrave agora prevê um crescimento de 12,4% para as vendas do setor, superior ao aumento de 9,8% estimado em julho.

Reuters

Foto: Fábio Tito/G1

Exercitar-se regularmente é um hábito importante para reduzir os riscos à saúde, aumentar nossos níveis de energia e manter nossa mente ativa.

O sedentarismo é um dos principais fatores de risco de morte no mundo e há diversos indícios que o vinculam ao surgimento de problemas cardiovasculares, câncer e diabetes.

Mas, apesar de todos os conselhos sobre isso e o grande volume de informações disponíveis sobre os benefícios da atividade física para a saúde, há algo em nós que nos leva a ter muita dificuldade de sair do lugar.

Um em quatro adultos e 80% dos adolescentes não fazem atividade física suficiente, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Mas, afinal, por quê?

Um estudo da Universidade de British Columbia, no Canadá, e da Universidade de Genebra, na Suíça, pode ter encontrado a resposta. O trabalho indica que o principal obstáculo para movimentar o corpo está em nosso cérebro.

Está tudo em nossa cabeça?

Essa contradição entre saber que o exercício é bom para o corpo e não fazer nada a respeito foi a base da pesquisa.

“Conservar energia sempre foi algo essencial para sobrevivência do ser humano por permitir que seja mais eficiente na busca por comida, achar um refúgio, competir por um par sexual e evitar predadores”, explica o cientista Matthieu Boisgontier, um dos coordenadores do estudo, em entrevista ao site da universidade canadense.

“O fracasso das políticas públicas para combater a pandemia de sedentarismo se deve talvez ao processo cerebral que foi desenvolvido e reforçado na evolução.”

A hipótese dos pesquisadores foi batizada de “paradoxo do exercício”, porque, apesar dos efeitos positivos da atividade física, o cérebro tem uma atração automática pelo comportamento sedentário.

Uma atração natural pela preguiça

No experimento, foi observada a reação do cérebro de 29 voluntários, entre homens e mulheres, por meio de um eletroencefalograma. Um dos requisitos era que essas pessoas se interessassem por atividade física, ainda que só algumas delas se exercitassem regularmente.

Todos foram submetidos a um teste de computador em que controlavam um avatar, representado pelo símbolo de uma pessoa.

Em seguida, surgiam na tela imagens em que uma figura praticava atividades, como subir uma escada ou andar de bicicleta, seguida por outra em que a figura estava parada, deitada em uma rede, por exemplo.

Os participantes tinham que aproximar o avatar o mais rapidamente possível de imagens que indicavam movimento e afastá-lo das imagens sedentárias, fazendo em seguida os movimentos contrários. Enquanto isso, eletrodos registravam a atividade cerebral.

Em geral, os participantes foram mais rápidos em se aproximar das imagens de atividade física e se afastar das sedentárias.

Mas as leituras indicaram que se afastar das sedentárias exigia que o cerébro trabalhasse mais, indicando uma disparidade entre a intenção da pessoa e o que, inconscientemente, o corpo deseja.

“Já sabíamos, por estudos anteriores, que as pessoas eram mais rápidas em evitar comportamentos sedentários e buscar comportamentos ativos. A novidade é que nosso estudo demonstra que isso tem um custo, um maior envolvimento de recursos cerebrais”, disse Boisgontier.

“Esses resultados apontam que nosso cérebro é naturalmente atraído pelo sedentarismo.”

Os cientistas reconhecem se tratar de um estudo pequeno e que novas investigações são necessárias, em especial para potencializar a “vontade de fazer exercício” que demonstraram os participantes.

Isso porque o ser humano tem a capacidade de escolher o que fazer de forma consciente, desafiando inclusive os sinais enviados pelo cérebro.

BBC

Foto: Pixabay